Sempre passei por inúmeras mudanças, e certamente essa foi a que mais me deu certeza de que sonhos são reais.

Sabia que minha habilidade, coragem e determinação poderiam me levar longe. A MRV me trouxe ânimo, energia e valentia para que todos os meus dias de trabalho se transformem em resultado.

Transformar é construir uma nova história. E o melhor é que esta será ao lado de mulheres inspiradoras, que possuem o mesmo objetivo: enaltecer a força feminina em qualquer âmbito. São essas mulheres que eu tenho o privilégio de chamar de MEU TIME.
Luiza Guisso Fiorese

Crescida na zona rural da cidade de Venda Nova do Imigrante, no Espírito Santo, Luiza costumava brincar de tudo quanto é esporte. Na escola, participava de todas as atividades de Educação Física e tudo relacionado a esporte que lhe era proposto.

Dos 11 aos 15 anos, jogou handebol já com o objetivo de participar de competições e com o sonho de se integrar à seleção brasileira.

"Acredito na força da inspiração e da dedicação. O que era para ser pesadelo na minha vida acabou virando sonho."

Determinada e amante do esporte, Luiza só conseguia ver um caminho para seu futuro; o esporte! Um inesperado obstáculo estava por vir e, mais do que nunca, ela precisava estar preparada para derrotá-lo.

Trajetória - Obstáculo

Obstáculos são desafios constantes na vida de todo atleta. No caso de Luiza, não foi um obstáculo qualquer e sim o maior desafio da sua vida, que fez com que ela precisasse se reinventar completamente. O que era para ser um pesadelo, acabou virando motivação para um sonho.

Diagnosticada com um câncer no fêmur, que a levaria a retirar o osso da perna e colocar uma endoprótese, Luiza se via obrigada a se reinventar e passar pelo maior desafio de sua vida.

"Ali recebi a notícia que ser atleta não era mais uma opção. Muitas frustrações envolveram esse processo. Seis anos se passaram, fiz faculdade de jornalismo pra falar sobre o esporte, mas o vazio da falta dele nunca tinha sido preenchido, até que encontrei o vôlei sentado."

Reinventar e transformar foram as palavras chave para enfrentar e passar por esse obstáculo. Luiza não deixou seu amor pelo esporte de lado, e fazia o possível para ficar próximo do que amava. O caminho? Vôlei sentado! A modalidade esportiva que se parece com o voleibol, mas adaptado para atletas com deficiência foi a válvula de escape para que Luiza seguisse em busca do seu sonho.

Determinada a realizar seu sonho, menos de um ano ela já fazia parte da Seleção Brasileira de vôlei sentado.

Em busca de seu sonho, deixou sua cidade natal e partiu para Goiânia. Ficar mais tempo dedicada ao esporte e treinar integralmente com o técnico da Seleção Brasileira, eram alguns dos motivos dessa mudança.

Na época, sem receber nenhum incentivo ou patrocínio, Luiza fazia o que podia para seguir em busca do seu sonho. Sempre dependendo do apoio e investimento dos pais na sua carreira, seguiu batalhando em busca do seu objetivo.

"Sabemos que o mundo paralímpico, principalmente o esporte coletivo, possui pouco suporte. Por isso admiro e confio em iniciativas como a da MRV, que mostra a força da mulher brasileira, que inspira outras mulheres a buscar mais e fazer dos problemas, futuras soluções. Mesmo com pouco tempo de carreira como atleta profissional, acredito que nós, empresa e atleta, juntos, podemos construir grandes coisas e chegar a mais pessoas. Estou disposta a ser muito mais do que uma atleta, hoje. Quero ser uma atleta exemplo, que inspira e mostra para outras mulheres, principalmente as deficientes, que temos espaço e condições pra sair do ordinário."

Hoje, Luiza disputa uma vaga entre as 12 que vão para Tóquio, e é apontada como uma promessa do Brasil na modalidade. Esse é um resumo breve, mas que contém parte da história por trás das cortinas. Histórias como essa fazem todos nós olharmos para nossas próprias vidas, e pensarmos que tudo depende de como enfrentamos nossos obstáculos.

Trajetória - Caminho para o sonho

Todos nós sabemos que o sonho olímpico não é uma tarefa tão fácil, ainda mais quando dificuldades como as enfrentadas por Luiza aparecem durante a caminhada.

“Foi uma surpresa quando fiquei sabendo que fui uma das selecionadas para o #ElasTransformam. Meus pais me ajudaram durante esse período que estive em Goiânia, e eu só poderia participar da seleção de bolsa atleta governamental no próximo ano. Essa ajuda vai me incentivar ainda mais a alcançar meus objetivos.”

Atualmente, Luiza está na lista de atletas pré-selecionadas para a disputa dos jogos paraolímpicos de Tóquio. Animada e motivada para buscar uma vaga na equipe que participará dos jogos e em trazer uma medalha paraolímpica para o Brasil, Luiza segue transformando todos os dias. “Eu esperava participar das Paraolimpíadas fazendo coberturas jornalísticas, mas essa possibilidade de estar no Japão como atleta em tão pouco tempo de esporte é algo que me motiva ainda mais.”

No Rio, em 2016, a seleção ficou com a medalha de bronze, e para Tóquio a expectativa de alcançar o ouro e disputar em condições de igualdade com outras grandes potências é uma realidade.